advertising

BTLG11, KNSC11, VISC11, KNRI11 e mais 5 FIIs: veja as notícias da semana sobre os fundos imobiliários

Imagem para representar os fundos de tijolo, uma categoria de fundos imobiliários que têm como objetivo principal investir os recursos dos cotistas na construção. fiis

A seguir, apresentamos as últimas notícias referente aos fundos imobiliários (FIIs) recomendados na Empiricus.

advertising

#BTLG11: o fundo comunicou a assinatura de memorando de entendimentos (MOU) para a venda de dois ativos do seu portfólio, sendo um deles localizado no estado da Bahia e o outro em São Paulo. O valor total da negociação é de R$ 133 milhões, sendo que R$ 71 milhões serão pagos no momento do fechamento da transação e os demais R$ 62 milhões serão divididos em três parcelas semestrais consecutivas.

Por fim, a gestão concluiu a reposição de locatários para o espaço de 1,87 metros quadrados do BTLG Guarulhos. A nova locação representa a expansão do atual inquilino SAS – Plataforma de Educação por meio de contrato de duração de 60 meses e com valor de aluguel 23% acima do praticado anteriormente.

#HSML11: o HSI Malls anunciou a sua 3ª emissão de cotas, com o objetivo de captar R$ 350 milhões por meio da emissão de 3,1 milhões de novas cotas para o público geral. Os investidores poderão subscrever ao preço de R$ 98,00 por cota, considerando o custo de distribuição de R$ 3,66 por cota (3,73%). O fator de proporção será de 0,456 por cota. O período de exercício do direito de preferência começou ontem (8) e termina no dia 19 de janeiro.

Ademais, o fundo imobiliário exerceu o direito de preferência para a aquisição da fração ideal de 1,24% do Shopping Paralela no valor total de R$ 7,4 milhões, que gera um cap rate de 10,1%, calculado a partir do resultado operacional líquido (NOI) projetado para 2024. Desta forma, o FII passa a deter a fração ideal de 52,2% do empreendimento, sendo proprietário de 100% da área de expansão do ativo.

advertising

#KNIP11: o Kinea Índice de Preços comunicou a venda dos CRIs do XP Properties (XPPR11) no valor total de R$ 465,1 milhões – os desinvestimentos foram realizados pela taxa de aquisição dos papéis, ou seja, não houve lucro nem prejuízo ao fundo. O montante foi alocado em 7 novas operações, ampliando o portfólio para mais de 100 ativos.

#KNRI11: o Kinea Renda Imobiliária concluiu a locação de um módulo do ativo Global Jundiaí para a Foxconn, que já era locatária do imóvel e expandiu a sua área de ocupação. Também foi celebrado o contrato de locação com a Riuma Mineração para ocupar um andar do Edifício Athenas. Ademais, foi devolvido um andar do edifício Boulevard Corporate pela empresa Thoughworks. Após as movimentações, a vacância física do fundo imobiliário passa para 2,57%, enquanto a financeira foi para 7,87%.

#KNSC11: o fundo vendeu suas operações envolvendo o XPPR11 pelas mesmas condições que o KNIP11. O montante foi alocado no CRI Ed. E-Tower a uma taxa de IPCA + 8,25% ao ano, baseado na aquisição de cotas de um FII que detém participação no empreendimento classificado como AAA e localizado no bairro Vila Olímpia (SP). As garantias do título são alienação fiduciária de cotas e cessão fiduciária dos recebíveis.

Ademais, foi realizada assembleia geral de titulares (AGT) para deliberar sobre liberação da garantia de menor valor do CRI Amarante. Em contrapartida, foram estipulados covenants financeiros e obrigações de reporte, além da extensão do prazo de lock up para pré-pagamento. Por fim, o projeto referente ao CRI Smart Connect, que representa 1,1% do PL do fundo imobiliário, encontra-se em atraso, acima do permitido no contrato de financiamento. A gestão já está endereçando o caso com a devedora.

#PVBI11: o VBI Prime Properties comunicou o encerramento da sua 5ª emissão de cotas, na qual captou R$ 545,7 milhões por meio da subscrição de 5,4 milhões. Com parte dos recursos levantados, foram adquiridos 7 mil metros quadrados (cerca de 36%) do Ed. Vera Cruz II a um valor total de R$ 293,8 milhões, o que equivale a R$ 40,8 mil por metro quadrado.

#RCRB11: o fundo obteve ganho real de 11,1% na revisional do contrato de locação com a Ambev, ocupante de 3,78 mil metros quadrados do Ed. JK Financial Center, o que representa 36,3% da área BOMA do imóvel. O aditivo tem vigência com data retroativa de 1º de julho de 2023 e conta com descontos escalonados até julho de 2024. Após o término das concessões, é esperado um incremento de R$ 0,01 por cota na receita mensal do RCRB11. Além disso, a Ambev passa a representar 16,5% da receita contratada do FII.

#TEPP11: os imóveis do Tellus Properties foram avaliados a mercado pela consultoria Cushman & Wakefield, o que resultou em uma variação positiva de 2,04% em seu valor contábil. Desta forma, a cota patrimonial do fundo imobiliário teve incremento de 2,2%, passando para o valor de R$ 97,07.

#VISC11: o Vinci Shopping Centers exerceu o direito de preferência para a aquisição da fração ideal de 0,26% do Shopping Paralela pelo valor total de R$ 1,56 milhões, passando a deter 11,26% do ativo. Assim como no caso do HSML11, o cap rate estimado da compra é de 10,1% para os próximos 12 meses.

Por fim, o fundo realizou a amortização antecipada parcial do principal do CRI Portfólio Ancar, no valor de R$ 120 milhões, sem a incidência de multa de pré-pagamento. Assim, o loan to value (LTV) do FII é reduzido para pouco mais de 15%.

Caso tenha interesse em conhecer a carteira top picks de fundos imobiliários de janeiro, clique aqui ou no botão abaixo para liberar seu acesso ao relatório gratuito.

O post BTLG11, KNSC11, VISC11, KNRI11 e mais 5 FIIs: veja as notícias da semana sobre os fundos imobiliários apareceu primeiro em Empiricus.

advertising